sábado, 5 de setembro de 2015

MEMORANDO

O homem murcha,
em camisa de manga,
no bafo da repartição.

Sua pela careca,
exala cheiro oco,
fenece sem dor.

Existência de despacho,
ossada desgastada,
à sombra do formal.

Enfado de escritório.
Mau hálito de café.
Contingência de portaria.

Sapato apertado.
Pés reprimidos.
Vida de carimbo.

Sonho de funcionário:
apodrecer à beira-mar,
boiando na água,
numa morte de areia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário