sexta-feira, 13 de julho de 2012

Passagem

Praia do Rio Grande do Norte
As palavras estão enterradas,
mas se movem,
se agrupam,
chocam-se com a crosta do solo,
procuram a superfície
e fluem.
Um rio de palavras corre
sereno.
Pelo leito de pedra
desce a palavra vida,
fugaz, veloz.
A palavra juventude
passa.
A palavra tempo
corta.
A palavra fogo arde
no rio
e passa.
Apanho a palavra água,
ergo-a,
mas ela deságua,
escorre
e flui.


JC

Nenhum comentário:

Postar um comentário