domingo, 24 de novembro de 2013

CIRANDINHA

Queria escrever um poeminha
que fosse um passarinho,
um tico-tico.
Para brincar no telhado
e correr no quintal.
Então à noitinha,
quando me viesse a tristeza,
meu poeminha cantaria.


5 comentários:

  1. Só pq falei do Mario Quintana vc postou um poema muito semelhante ao estilo dele. Legal esses poemas mais singelos, trazem uma sensação de alegria, de plenitude talvez...Uma das caracteristicas que gosto do quintana é essa capacidade de dar essa sensação, não sei se vc gosta da Obra de Mario Quintana, se não, repense pois esse poema é muito parecido. Conhece esse:

    POEMINHO DO CONTRA

    Todos estes que aí estão
    Atravancando o meu caminho,
    Eles passarão.
    Eu passarinho!

    Mario Quintana

    Nesse poema eu entendo que ele se refere à Academia, no sentido da simplicidade, já que ele tentou tantas vezes entrar lá e nada. A academia não valoriza os grandes poetas...

    parabens pelo poeminha.

    Grande beijo e forte abraço

    O de sempre anônimo(a)

    ResponderExcluir
  2. Só pq falei do Mario Quintana vc postou um poema muito semelhante ao estilo dele...rsrs. Legal esses poemas mais singelos, trazem uma sensação de alegria, de plenitude talvez...Uma das caracteristicas que gosto do quintana é essa capacidade de dar essa sensação, não sei se vc gosta da Obra de Mario Quintana, se não, repense pois esse poema é muito parecido. Conhece esse:

    POEMINHO DO CONTRA

    Todos estes que aí estão
    Atravancando o meu caminho,
    Eles passarão.
    Eu passarinho!

    Mario Quintana

    Nesse poema eu entendo que ele se refere à Academia, no sentido da simplicidade, já que ele tentou tantas vezes entrar lá e nada. A academia não valoriza os grandes poetas...

    parabens pelo poeminha.

    Grande beijo e forte abraço

    O de sempre anônimo(a)

    ResponderExcluir
  3. Concordo, esse poema é angelical com a delicadeza de Quintana. Curiosamente eu lembro da minha infância ao ler esse poema. Eu tinha uma fixação por aves e pelo céu qd era criança, não que isso tenha mudado muito. Essa beleza a acdemia não teve, alias tudo que é fechado perde o belo. O dono da poesia não é que escreve a poesia apartir desse momento é livre como um tico-tico...rsrs

    Ótimo poema

    ResponderExcluir
  4. Esse Poeminho do Quintana é um Minifesto. Muito sútil e muito singelo. Uma bomba de poesia. Deve ser necessária muita competência poética para conseguir condensar tanto sentimento em tão poucas palavras.

    Acho que os imortais da academia brasileira de letras vão viver toda a eternidade e não produzirão nada tão genial como o Poeminho do Contra.

    Forte abraço.

    ResponderExcluir
  5. Grande camarada, gostei do poema. Abraços.

    ResponderExcluir