sábado, 30 de abril de 2011

Ernesto Sábato - O escritor e seus fantasmas



Ernesto Sábato: Por qué gritará?

[...] os seres de carne e osso jamais podem representar as angústias metafísicas no estado de idéias puras: fazem-no sempre encarnando essas idéias, obscurecendo-as com sentimentos e paixões. Os seres carnais são essencialmente misteriosos e se movem por impulsos imprevisíveis, mesmo para o escritor que serve de intermediário entre esse estranho mundo irreal mas verdadeiro da ficção e o leitor que segue seus dramas. As idéias metafísicas se convertem assim em problemas psicológicos, a solidão metafísica se transforma no isolamento de um homem concreto em uma cidade concreta, o desespero se metafísico se transforma em ciúmes e o conto que parecia destinado a ilustrar um problema metafísico se converte em um romance de paixão e crime.

Nenhum comentário:

Postar um comentário