segunda-feira, 13 de novembro de 2017

POEMA CARTA

nosso amor acena
do prédio em chamas
entre as labaredas.

nossos líquidos misturados
evaporam

nosso amor apodrece
nas calçadas do esquecimento.

mas guardo um tufo do seu cabelo
entre os dedos
nos bolsos da memória




Nenhum comentário:

Postar um comentário