terça-feira, 9 de junho de 2015

CACETE DA LÍNGUA OU LÍNGUA DO CACETE?

Esses dias escrevendo lasquei a palavra cacetete na tela. Como meu computador não corrige ortografia, passou. Cacete se escreve com c, logo... Errado! É uma cacetada doída e doida, ou doida e doída, mas o correto é cassetete, com ss. A tropa de choque dá cacete com escudo e caSSetete.

O étimo (essa palavra é outra cacetada) de cassetete é francês, “casse-tête” literalmente quebra-cabeça. Tá no pai dos burros contemporâneos, o google. Pornograficamente, meu dicionário registra que cassetete é um cacete curto. Mas nas ruas o povo chama um cacete curto de cacetinho, um cacete longo o povão chama de cacetão, que é uma rima e uma solução, gramaticalmente. Fico pensando que a polícia bate com um cacetinho, ou cassetete, ou cacete curto. E se um cacete curto ou cassetete machuca, um cacetão? O que faria? Mas a cacetada maluca é que cacete curto se escreve com ss, cassetete, vai entender.

Semanticamente desesperado, recorro ao pai dos burros contemporâneo, lanço no google a sentença cacete imagem. Não ignoro que pode aparecer um cassetete longo, um cacetão que não caiba nas dezessete polegadas do monitor, mas vou em frente. Descubro que o google é moralista. Não aparece nenhum cacete, fico sem visualizar. Para além do dicionário e da fala das ruas, o que é realmente um cacete?

Por sorte as tias do meu tempo de escola também eram moralistas, porque se a palavra cassetete caísse no ditado, eu poderia levar um cacete. Sim, sou do tempo em que algumas tias desciam o cacete nos alunos. Hoje as coisas se inverteram. Mas a nossa língua continua excessivamente cheia de exceções.

Recorro outra vez ao meu dicionário pessoal. Um sinônimo para cacete? Simples. Porrete. Claro. Novamente uma rima e uma solução. O google, que é moralista, me mostra imagens de porretes aos milhares. Quando vejo as imagens dos porretes me assusto. A americanização da nossa língua transformou boa parte dos porretes em tacos de baseball. Será que os cacetes também viraram tacos de baseball? Ops. Beisebol. Percebo que a americanização está em mim também. Cacete! Ops. Meu brasileirismo reage. Antes cacete que oh shit. Ótimo.

Brasileirismo à parte, possibilidades poéticas e de conjugações à parte, nossa língua é um cassetete, um “casse-tête”, um cacete curto, um quebra-cabeça. É do cacete, e dá cacete nos falantes.



2 comentários:

  1. A língua é um labirinto, uma forca na qual temos que tomar muito cuidado para não se perder ou se enforcar nessa nossa língua mãe cheia de mestiços, mestiçagens, criolos e por ai vai...
    A língua as vezes pega o cacete e da uma cassetada (ou cacetada??) na gente, mas as vezes tb viramos o cacete no lombo dela.
    "Lutar com palavras é a luta mais vã, entanto lutamos mal rompe a manhã."

    Bjos
    Dani

    ResponderExcluir
  2. Isso. O combate é esse. A língua é do povo como o céu é do condor. Essa questão do cacete/cassetete é só uma brincadeira. O problema mesmo é a privatização e o esvaziamento ideológico do idioma: startar, feedback e por aí vai.

    ResponderExcluir