POEMA PROLETÁRIO

Nossas bocas vão mastigar
seus títulos de propriedade,
suas togas e fardas,
seus contratos de hedge,
suas algemas e viaturas,
seus soldados e cães,
suas reintegrações de posse.

Nossas bocas vão mastigar
suas gazetas e hebdomadários,
seus condomínios fechados,
suas opções de compra,
seus passeios na Disney,
suas tropas de choque,
seus jornalistas de aluguel.

Nossas bocas vão mastigar
seus derivativos agropecuários,
suas projeções de lucro,
seus ternos italianos,
suas balas de borracha,
seus barretes doutorais,
suas pick-ups importadas.

Nossas bocas vão mastigar
suas terras griladas,
seus gases lacrimogêneos,
suas commodities agrícolas,
seus oficiais de justiça,
suas especulações imobiliárias,
seus tribunais e magistrados.

Nossas bocas vão mastigar
seus capitais,
suas reformas,
seus golpes de Estado,
sua classe social.

Argentina - 2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário