quinta-feira, 23 de agosto de 2012

GLAUBER MORTO
(Ferreira Gullar)

O morto
não está de sobrecasaca
não está de casaca
não está de gravata.

O morto está morto
Oswaldo Goeldi: Figura da morte
 segurando uma cabeça 


não está barbeado
não está penteado
não tem na lapela
uma flor
              não calça
sapatos de verniz

não finge de vivo
não vai tomar posse
na Academia.

O morto está morto
em cima da cama
no quarto vazio.

Como já não come
como já não morre
enfermeiras e médicos
não se ocupam mais dele.

Cruzaram-lhe as mãos
ataram-lhe os pés.

Só falta embrulhá-lo
e jogá-lo fora.

 
* Em agosto de 2012 completaram-se 31 anos da morte de Glauber Rocha. Ferreira Gullar publicou o poema Glauber morto no livro Barulho.


Nenhum comentário:

Postar um comentário