sexta-feira, 25 de maio de 2012

Meninice

Vicent van Gogh: Casas em Auvers
Era uma vez um menino,
não gostava de fruta,
não gostava de escola.

Fantasmas. Assombrações.
Espíritos. Pecados.
Era um medo tão suave.

Era uma vez um menino,
empinava pipa,
jogava bola,
espiava a prima.

Nono. Nona. Quitanda.
Eram tantas palavras doces.
Eram tantos desejos.
Eram tantos sonhos.
Era um menino, era uma vez.

JC

Um comentário:

  1. A medida que se avança tudo se torna, invariavelmente, tão quase sempre tão sem graça. Quanta repetição, quanto tédio... As imagens que remetem a infância, quase tão sempre... tão mais coloridas. Que pena: "Era um menino, era uma vez." Era...

    ResponderExcluir